segunda-feira, 18 de junho de 2012

MÚSICA PARAENSE MPP


Adilson Alcantara - As Crianças Latinas.mp3
 Alcyr Guimaraes - Tempo de flores.mp3
 Alexandra Senna - Meu mar.mp3 
Alfredo Reis - Ajuruteua.mp3
Alfredo Reis - Bom Dia Ajuruteua.mp3
Alfredo Reis - Buissucanga.mp3 
Alfredo Reis - Como um solitário boto.mp3
Alfredo Reis - Pororocando.mp3
Alfredo Reis - Tempo De Pescar.mp3
Arraial do Pavulagem - Comando Estrangeiro.mp3
Chico Sena - Flor do Grão Pará.mp3 
Criado Mudo - Jovens.mp3 
Delço Taynara - Caso.mp3 
Eloi Iglesias - Embriago-me blues.mp3 
Eloi Iglesias - Energia.mp3 
faca de dois gumes.mp3 
Fafa de Belem - Mesa de Bar.mp3 
Fafa de Belem - Pauapixuna.mp3 
Julio Freitas - A me acordar.mp3 
Julio Freitas - Brincos De Princesa.mp3
Julio Freitas - Desvelo.mp3 
Livia Rodrigues - Dunas da Princesa.mp3
Lucinha Bastos - Iná.mp3 
Lucinha Bastos - Atalaia.mp3 
Lucinha Bastos - Mambo.mp3 
Lucinha Bastos - Nêga.mp3 
Lucinha Bastos - Porto Caribe.mp3 
Luis Girard - Entre a barbarie e a delicadeza.mp3 
Marcio Macedo - Negro sol.mp3 
Marco Andre - Olhar cigano.mp3 
Marco Andre - Olhar pirata.mp3 
Marco Andre - Pequeno dicionário do Amor.mp3 
Maria Lidia - Merengue Latino.mp3 
Markinho e Banda - Foi Assim.mp3 
Mosaico de Ravena - Belém-Pará-Brasil.mp3 
Mosaico de Ravena - Crianças.mp3
Nilson Chaves e vital Lima - Coco Peneruê.mp3 
Nilson Chaves e Vital Lima - Tum-ta-tá.mp3 
Noca da Portela - Saudade de Belém.mp3 
Oswaldo Oliveira - Irei a Belém.mp3 
Paulo Adre Barata - Nativo.mp3 
Pedrinho Cavallero - Bazar Pechincha.mp3
Quaderna - Patrulha da Cidade.wma
Ronaldo Silva - Lua jardineira.mp3
Ronaldo Silva - Namoro marcriado.mp3
Salomao Habib - Canção de Pai.mp3 
Salomao Habib - Um dia vais passear comigo em minha aldeia.mp3
Simone Almeida - Olhares Velozes.mp3 
Vital Lima - Círios.mp3 
Vital Lima - Das Coisas Simples da Vida.mp3 
Vital Lima - Leopardo.mp3 
Vital Lima - Mundano.mp3 
Vital Lima - Murucí.mp3 
Walter Bandeira - Beijo cego.mp3 
Walter Bandeira - Constelação Sentimental.mp3 
Walter Bandeira - Curtição.mp3 
Walter Bandeira - Entre nós .mp3



terça-feira, 17 de abril de 2012

O ESTUPRO

Por Sidney Oliveira

    Depois daquele esbarrão no corredor nós simplesmente perdemos o contato...
    Embora ela tenha passado boa parte da infância com a minha família, eu nunca me encontrei com ela depois de adulta, até o dia do bendito encontrão. Foi em um aniversário em família que nos esbarramos, eu aproveitei e abracei-a maliciosamente, ela percebeu e fez uma cara de que havia entendido e pareceu ter gostado, depois desse dia ela sumiu e só reapareceu após cinco anos.
    Por coincidência foi na véspera do aniversário da mesma pessoa que voltamos a nos ver, bastou olhar para ela que aquele momento retornou, agora com mais vigor, com mais força, parece que ele estava incubado dentro de mim como um vírus se replicando e aguardando para explodir.
    Assim que nos encontramos o clima pareceu de discórdia, começamos a trocar pequenas farpas pos motivos fúteis, como se houvesse uma tentativa de dissimular o que realmente nós tencionávamos.
    Como o clima na casa era de festa, havia gente por todos os lados, não tivemos oportunidades de trocar qualquer afago, até porque ela é casada e todo mundo sabe. A noite fomos para uma boate com vários amigos em comum, disfarçamos as carícias e os suspiros enquanto  dançávamos, meu coração batia tão acelerado que acredito era possível vê-lo pulsando através da minha caixa torácica.
Quando voltamos da noitada, ela foi para o quarto e eu fui dormir na varanda, não consegui pregar o olho, entrei na casa e vi a porta do quarto dela aberta, me deitei ao seu lado e fiquei quietinho sentindo sua respiração em minhas costas, ela se recostou e começou a se esfregar em mim, eu comecei a afagá-la e a tocá-la, ficamos por alguns minutos nessa troca de carícias e dormimos, já que era impossível fazermos amor com um bando de gente zanzando pela casa, porque já era seis da manhã e as pessoas estavam se arrumando para irem à missa.
    A festa de aniversario foi durante o dia e praticamente não nos vimos e as poucas oportunidades que tínhamos para conversar eram envolto em muita discrição já que não era possível transparecer que entre nós estava rolando uma paixão arrasadora, voltei para casa angustiado e me culpando por não maquinar uma fórmula de levar aquela mulher pra cama.
    A semana começou torturante e eu não conseguia me concentrar em mais nada só pensando em como reencontrá-la, liguei pra ela e disse que voltaria à cidade e passaria o final de semana na casa da família, fato estranho, já que fazia anos que eu não aparecia e já estava de volta na semana seguinte.
    Desde a hora que eu cheguei, comecei a beber com os amigos e varei a noite, só voltei às duas da manhã bebadaço, tomei banho e deitei...
Acordei totalmente atordoado com ela nua, tirando minha roupa e se esfregando em mim como uma gata no cio.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

O Espelho



Adaptado por Sidney Oliveira

Devido a sua imensa extensão, no Estado Pará ainda existem localidades muito ermas, são lugares tão distantes que os moradores locais têm pouca ou nenhuma convivência com a civilização diríamos convencional.
Em um desses povoados habitava o Manduca, morador de uma área remota no município de Altamira distante mais de trezentos quilômetros da sede e afastado por vários outros do convívio humano moderno, mais próximo dos indígenas do que do homem branco.
Como a comunidade era formada basicamente pela sua família e praticamente auto-sustentável, já que eles cultivavam e/ou caçavam e pescavam a maioria do alimento consumido, o Manduca apesar de ter 20 anos nunca havia saído do seu ambiente.
O único morador que tinha maior contato com outras pessoas era o pai do Manduca que sempre ia um vilarejo distante uns cinqüenta quilômetros fazer escambo de alimentos produzidos no povoado por outros gêneros. Um dia seu pai não pode fazer a troca e mandou o Manduca para a vila fazer negócios.
Ele se saiu muito bem com as trocas e já voltava para casa quando viu um camelô com um carro repleto de bugigangas, ficou abismado com tanta coisa que ele nunca tinha visto, o vendedor percebeu que se tratava de um matuto e pegou um espelho e foi logo mostrando pro rapaz sugerindo trocar por dois frangos que o garoto levava as costas.
Assim que se viu no espelho o rapaz tomou um susto e deduziu que se tratava de um “retrato” do seu pai quando jovem, realizou a troca com todo o prazer e seguiu direto pra casa para mostrar ao pai a sua “foto”.
No caminho ele ficou preocupado se o pai não ficaria chateado por ele ter feito um negocio sem o seu consentimento uma vez que, o velho era muito rígido e mantinha os filhos “sempre na linha”, ao retornar ainda indeciso quanto o que fazer com a “foto” escondeu-a no fundo de uma mala e foi à casa do pai entregar as coisas que trouxera.
Enquanto isso a sua esposa Mariinha foi arrumar a mala e se deparou com o espelho, ao se olhar nele ficou desesperada ao ver uma bela moça refletida, saiu desesperada em prantos pra a casa da sua mãe dizendo que o Manduca tinha ido até a vila e traído ela com outra e ainda trouxe o “retrato” da vagabunda.
Quando a velha olhou para o espelho e viu seu rosto refletido, esbravejou:
- não acredito que o Manduca te traiu com um bagulho deste, minha filha!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

O brasileiro adora achincalhar o seu país!!!!

Eu achei estes escritos por aí e concordo com tudo que ela reporta e realmente esta pessoa Wânea Azevedo Tertulino de Moraes acertou a espinha dorsal da maioria esmagadora das pessoas que "adoram os enlatados" como disse muito bem Ranato Russo, neste caso os falsos brasileiros.



Os brasileiros acham que o mundo todo presta menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado.

Só existe uma companhia telefônica e pasmem! Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.

Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.

Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.

Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.

Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de 'Como conquistar o Cliente'.

Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos.

Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa.

Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc... Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.

Os dados são da Antropos Consulting:
1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.
2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.
3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.
4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.
5.. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.
6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.
7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.
8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.
9 .Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.
10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO- 9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México , são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.
11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.
Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?
1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?
2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?
3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?
4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?
5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?
6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?
7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem?

Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.
É! O Brasil é um país abençoado de fato.
Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.
Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques.
Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente.
Bendita seja, querida pátria chamada
Brasil!!
--------------
Matéria escrita pela Adv Wânea Azevedo Tertulino de Moraes

 

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Uma bela jogada de marketing!


                                                                                             Por Sidney Oliveira
 Um dia desses eu saí com uns amigos para um happy hour, assim que chegamos ao bar eu percebi logo uma gata fantástica que estava na mesa ao lado e fiquei logo de olho, rapidamente dei um jeito de ficar de frente pra ela, como ela estava com um coroa, eu não entrei logo de carrão de sena, fiquei olhando disfarçadamente e percebi que ela havia notado e parecia retribuir, tudo se confirmou quando fui ao banheiro e ela jogou o cabelo em cima de mim quando eu voltei. Claro que me empolguei e fiz um gesto pedindo o número do celular dela, ela disfarçou colocando um lencinho na boca, fingiu uma tosse e balançou a cabeça em sinal de positivo. Só que durante estas trocas de olhares percebi que ela olhava também para outra mesa que estava a minha esquerda, resolvi sondar e notei que tinha um gavião querendo papar também a franguinha, não demorou muito ela o coroa se levantaram pra ir embora, enquanto ele foi ao banheiro, ela pegou um lencinho e começou a escrever, deixou embaixo de um copo e foi embora. Eu olhei pro cara que estava na mesa a esquerda e intui que ele fosse querer o papel também, como eu estava mais perto, pensei... se esse cara levantar dali eu levanto primeiro e pego o número e ele me olhava como se soubesse o que eu estava arquitetando. Só que para nossa surpresa um outro cara que eu nem imagino de onde veio pegou o papel o foi pro banheiro. Eu corri pra lá e falei pro cara que aquele papel era pra mim, nessa hora chegou o cara da mesa ao lado, falando que o papel era dele. O sujeito que pegou o papel meteu a mão no bolso e puxou três papeis cada um com dois números de celular e falou:
- toma um pra ti, outro pra ti e um pra mim.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Como o ser humano é hipócrita!

Eu estava lendo uns comentários em uma matéria sobre a morte do Stevie Jobs, e percebi como as pessoas são hipócritas, primeiro tem os ficam repetindo a mesma frase que escrevem toda vez que morre alguém conhecido na media, "que Deus te isso... que Deus ilumine aquilo....

Pra começar ele Jobs não estava nem aí pra quem escreveu muito menos pra Deus, então como Deus vai ligar pra um cara que nem se importava com ele (hipocrisia) o Deus dele se resumia simplesmente a dinheiro.

Depois tem aqueles que escrevem como se soubesse pelo menos escrever, mais ou menos assim.

-o mundo está triste! Morreu o pai da tecnologia, seus produtos revolucionaram o mundo! (hipocrisia)

Stevie Jobs nem chegou perto de ser nem um gameta da tecnologia, imagina o pai!

O cara que escreveu sobre os produtos da Apple, nunca nem chegou perto de um "Ipod" ou de um "Macintosh" imagina um "Ipad2" (tradução; "aipedtchu") no máximo comprou um daqueles "xineco" cor de rosa num camelô pra ouvir rap ou pagode num busão e quando escreveu o comentário no Yahoo estava numa lan house (nome bonito pobre adora falar "lãrrause") num PC das Casas Bahia gastando seus últimos cinco minutos já que o Orkut (pra pobre eu quis dizer yorkut) já estava enfadonho como sempre.

Nota... Sobre o PC da Casas Bahia ele faz tudo e até um pouco mais que um "Mac" só que 1000% mais barato, fica aí um alerta aos hipócritas de plantão, não chorem nem acendam velas nos seus "aipedtchu" do Mercadolivre que não vai iluminar o caminho dele já que "só faz milagre quem acredita em milagre".

 

terça-feira, 25 de maio de 2010

Isso é uma loucura!


PARA MATAR DE RAIVA
*POR SIDNEY OLIVEIRA

Quando eu tinha por volta de dezenove anos, eu fui trabalhar numa loja de carros de um primo, foi um dos meus primeiros empregos, apesar da minha função modesta, o salário era bom, a única desvantagem era que o pagamento era semanal (as sextas-feiras). Em uma bendita sexta-feira eu havia recebido o pagamento, (o equivalente a uns trezentos reais hoje em dia) e fui até uma loja de departamentos que fica no Centro de Belém, após percorrer vários corredores, percebi que uma moça estava com a bolsa aberta, me dirigi até ela e lhe informei, ela ficou um pouco assustada, mas, me agradeceu pela gentileza. Logo em seguida eu fui para o segundo andar para ver alguns CD’s, porém não comprei nada, ao retornar ao térreo, percebi que alguns seguranças estavam na parte debaixo da escada rolante, quando me aproximei, um deles solicitou que eu o acompanhasse até a gerência. Esta loja tinha por rotina encaminhar as pessoas que eram flagradas roubando até uma sala com uma um vidro enorme, até a chegada da polícia, dava pra ver quem estava lá dentro, toda vez que eles pegavam alguém, todos os clientes iam lá pro vidro para olhar a cara do ladrão. Ao chegar a gerência, a primeira pessoa que eu vi, foi a moça da bolsa aberta, chorando e gritando que eu era o ladrão que a roubara, a essa altura o gerente já havia ligado para a policia.
Logicamente que o meu mundo desabou, não sabia o fazer, o desespero começou a tomar conta de mim, minhas pernas começaram a tremer, o coração queria saltar pela boca, um segurança me ameaçou com a arma, o gerente começou a gritar que eu deveria devolver o dinheiro, a mulher cravou as unhas na minha cara, quase arranca meus olhos. Depois de uns dois minutos, foi que eu me dei conta do que estava acontecendo, respirei fundo e perguntei quanto eu havia roubado, o gerente falou R$ 300,00, exatamente o que eu tinha na carteira, todo o meu salário da semana, dinheiro que eu estava guardando pra comprar uma MOTO, que eu fiquei com pena de comprar um CD, desta vez o coração pulou, caiu a uns três metros de mim, já desesperado, sabendo que quando a policia chegasse eu iria “levar muita porrada”, e o pior tudo, na frente de todos os clientes, que a essa altura já era uma multidão, gritando pro gerente me jogar de lá da sala de vidro pra conversar com eles, (não sei qual era o assunto) porque até as pessoas que passavam na frente da loja, entravam pra ver o ladrão.
No afã do meu desespero, sugeri que ela abrisse novamente a bolsa e verificasse melhor, ela ficou mais possessa ainda e jogou a bolsa na minha direção, eu desviei e pegou na cara do gerente, era bagulho espalhado pra todo lado, nunca vi lugar pra ter tanta porcaria como bolsa feminina, tinha batom de cinco qualidades, calcinha, absorvente, pente, peixe frito, pó compacto e uma bolsinha de couro preta.
Eu peguei a tal bolsinha e pedi a um policial que ia entrando que ele a abrisse e a examinasse, para surpresa de todos, o dinheiro estava lá, todo dobradinho.
A torcida lá fora calou, o jogo havia virado, foi um show de desculpas, eu entrei na sala como ladrão, vagabundo, pilantra e agora era senhor, doutor, moço, me perdoe em vários idiomas, até o policial pediu desculpa (aí eu já peguei pesado), minha única reação, foi olhar pro gerente e perguntar se eu já podia ir embora, ele me pediu mais duzentas desculpas e falou que sim.
Ninguém arredou o pé de lá, nem da sala nem da loja, enquanto eu descia a escada eu olhei para aquela multidão e fiz um gesto de “todo mundo se f.u.d.e.u” e sai o mais depressa possível.
Quando eu estava na parada do ônibus, percebi que alguém me acenava de dentro de um carro, para minha surpresa, era a dita mulher que me acusara, ela desceu do carro, foi lá comigo e novamente pediu mil e uma desculpas, eu falei que já havia até esquecido, que ela fosse embora senão eu iria me aborrecer de novo e seria capaz de fazer tudo que me deu vontade na hora que o dinheiro apareceu...
...Ela disse que estava muito arrependida pelo que aconteceu e chorou muito por ter acusado um inocente, depois pediu pra me levar pra casa, ela insistiu tanto que eu aceitei só para que ela parasse de pedir perdão, no carro, continuou a mesma avalanche de desculpas que já estava até doendo meu ouvido. No caminho de casa, ela disse que iria parar um instante no apartamento dela, para deixar as compras, já que havia alguns produtos perecíveis, insisti para ficar no carro, mas ela insistiu mais ainda para eu subir, sem ter como negar, eu fui com ela até o apartamento, enquanto ela foi para a cozinha eu fiquei aguardando na sala. O apartamento era uma coisa de louco, acho que aquela mulher era dona de uma galeria de arte, a quantidade de objetos de valor espalhado pela sala, era absurda, havia várias estantes cheias de estatuas, porta-jóias, objetos de cristal e mais uma centena de outras coisas que eu nem sabia do que se tratava. Foi quando eu vi um armário de vidro, com inúmeros relógios despertadores, havia pelos menos uns duzentos, de todo tipo, desde os mais simples até um todo de ouro. Não sei o que se passou na minha cabeça, só sei que eu abri o armário e peguei o relógio de ouro e coloquei na mochila...
Quase que ela me flagra, por muito pouco mesmo, mas, ainda bem que não aconteceu o pior, descemos, e fomos para o carro, quando nós estávamos na garagem chegou o marido dela, ele perguntou se estava tudo bem comigo, uma vez, que ela ligara e pedira pra ele vir para casa e adiantou alguns detalhes do que havia acontecido.
O marido dela me pareceu um cara legal (talvez preocupado com quais medidas eu iria tomar) me tratou educadamente, me falou que era delegado e que eles estavam casados há pouco tempo e ficou muito nervoso, na hora que soube que a esposa havia sido roubada, só depois que ela ligou novamente, avisando que a situação já havia sido resolvida e que tudo foi um grande mal entendido, foi que ele conseguiu guardar a arma.
Eu moro na região metropolitana de Belém e de lá do centro até onde eu moro é quase uma hora de viagem, até que o papo estava bom eu já tinha digamos, me recuperado do susto e ainda me sentia extremamente vitorioso por ter me vingado, tirando aquele relógio de ouro.
Mas, meus amigos, o mal nunca está impune, quando eu achei que já estava vingado e feliz pela minha façanha, foi que o pior aconteceu, é verdade, algo muito pior aconteceu,
como se não bastasse tudo que eu passei naquela loja, o susto que eu levei ao ser ameaçado de ir pra cadeia, de levar uma boas bordoadas da polícia e toda aquele situação hedionda, ainda houve espaço para mais uma desgraça pra completar o meu desgraçado dia.
Na hora que eu fui descer do carro em frente a minha casa, a minha mãe estava na calçada me esperando, como ela fazia todo santo dia, se eu me atrasasse mais de dez minutos, (olha que já tinha dezenove anos) quando o carro parou exatamente perto da minha mãe:
O MALDITO RELÓGIO DESPERTOU!
Ninguém é capaz de imaginar o aconteceu...
Pois é...

calma galera! daí eu acordei, tudo não passou de um sonho








terça-feira, 25 de agosto de 2009

Para ser mãe não precisa parir

Por Sidney Oliveira

Quando eu nasci, minha mãe faleceu durante o parto, meu pai desapareceu antes mesmo que eu nascesse. Começa aqui uma história de tristeza, pelo fato de perder o pai e literalmente a mãe, porém de alegria, porque colocou alguém que foi sem dúvida alguma, a mais importante de toda a minha existência.

Nessa época minha bisavó tinha 78 anos, ela se chamava Helena, tinha dois filhos, Marília que era minha avó, tinha 65 anos e Jorge, filho temporão de apenas 35 anos, fruto de uma aventura logo após a morte do meu bisavô. Como era a matriarca da família, ela reuniu todos e decidiu que ficaria responsável por mim, “apenas enquanto ela vivesse”. Depois que ela morresse, minha avó materna assumiria a guarda.

Quando completei 15 anos, tia Marília sofreu um derrame cerebral fatal e não resistiu.

Agora estaria sob a custódia do meu tio avô Jorge, mas somente, “depois que ela morresse”. Já não havia nem necessidade de me criar, somente um extremo apego daquela velhinha por mim.

Os anos foram-se passando, eu me formei em direito, comecei a trabalhar em um escritório e casei aos 22 anos com a minha secretária, um ano após nosso casamento nasceu minha amada filha Helena, comprei um apartamento e trouxe minha bisavó Helena para morar comigo.

Hoje foi o meu aniversário de 28 anos e o de cinco anos de minha filha Helena, um dia de festa e de muita alegria pela minha filha e tristeza pelo falecimento da pessoa que mais me amou.

Obs. Dona Helena faleceu aos 106 anos sentada, com sua tetraneta Helena de cinco anos no colo, durante a festa.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Carta ao Presidente

Na minha aula de Comunicação Empresarial do curso de Sistema de Informação o professor sugeriu que redigissemos uma carta ao presidente, isso foi tudo o que me ocorreu:

Senhor Presidente

Quando o senhor iniciou sua carreira política, eu vislumbrei um futuro melhor para o povo brasileiro, isso me fez arregaçar as mangas e lutar pela sua eleição, infelizmente à época não foi possível, após a sua quarta tentativa de se eleger, o triunfo pela sua luta foi alcançado, finalmente o senhor é o Presidente da Republica. No entanto, tudo aquilo em que acreditei que iria mudar, não aconteceu, o “Lula” que eu acreditava que iria modificar este país, é somente mais um político como todos os outros, que só se importa com o poder, o que se vê no seu governo é o aumento da corrupção, do assistencialismo e do desrespeito com o patrimônio público, as suas políticas são para beneficiar os banqueiros, os industriais, os fazendeiros, enquanto o povo que lhe colocou no poder o que recebeu?
O número de cidadãos que vivem abaixo da linha da pobreza, triplicou nos últimos cinco anos, a violência urbana está em um patamar jamais visto neste país, a saúde está um caos e a educação foi jogada às traças, o dinheiro que deveria ser utilizado em saúde e educação é desviado para outros fins, enquanto o povo brasileiro morre de fome o senhor dá dinheiro ao FMI para manter a riquezas dos americanos.
Sinceramente presidente, eu acho que o senhor foi a maior decepção política que eu tive o desprazer de presenciar.


Atenciosamente;


Sidney Oliveira


Cidadão brasileiro

sábado, 18 de abril de 2009

Um breve conceito sobre religião!



Eu escrevi alguma coisa sobre religião em um sitio chamado http://www.eternoretorno.com e salvei. Outro dia revirando um pen drive eu encontrei este relato e percebi que realmente ele representa a minha opinião.

Se eu acreditasse em inferno, diria com toda propriedade que os primeiros a galgarem este paraíso, seriam todos os que professam qualquer religião, por que quanto mais eu ouço alguém falar de deus em cima de um púlpito, mais acredito que a raça humana está perdida graças a este veneno que os homens usam para enganar, roubar, matar, etc. este veneno chama-se religião. Desde quando se começou a usar a palavra "deus" um vagabundo começou a se dar bem em cima de outros. Calculem comigo quantos "homens de deus" trabalham para manter suas boas vidas, pastores, padres, monges, rabinos, pajés, xamãs, pais de santos, e outras infinidades de lideres religiosos, sempre são sustentados pelos "fiéis" isso remonta desde os tempos das cavernas. Religião é a forma mais descarada e antiga dos homens enganarem os seus semelhantes e o pior de tudo que até os dias atuais este golpe ainda funciona.

sábado, 28 de março de 2009

Hoje eu vi um anjo!

Ele não tem asas, nem auréola, tampouco é loiro de olhos azuis, pelo contrário, é baixinho, já apresenta rugas, anda pela casa devagar, não pára um só instante, tem sempre algo para se preocupar, vive com um pouquinho de comida diariamente, levanta às seis da manhã e só vai pra cama depois que todo mundo já chegou ou já foi dormir, não reclama de quase nada, mas, quando reclama, geralmente tem razão, só que quase ninguém dá ouvidos para o que ele diz, somente depois é que irão atentar para aquelas palavras, às vezes cruzamos com ele várias vezes durante o dia e nem reparamos que ele já está desgastado, cansado, que o seu tempo de vida é curto, que a sua felicidade depende dos outros estarem felizes, que o seu prazer é tornar a vida dos outros prazerosa. Muitas pessoas já não têm mais o seu anjo, muitas só perceberam que ele existia depois que ele se foi, muitas só atentaram para importância dele somente depois que o perderam.

Olhe para a sua sala verifique se ele não está em uma cadeira de embalo em frente à TV, ou com uma xícara de café às mãos talvez até com um pedaço de bolo de milho, ou com aquele cigarro que todo mundo já o mandou largar, mas ele insiste em dizer "é minha única distração"

Ele está todos os dias cuidando de você, dê uma forra, cuide dele um pouquinho, torne seus dias aqui na terra menos dolorido, menos cansativo, menos solitário.

Hã! Você não sabe de quem eu estou falando?

Então no dia do féretro do seu anjo, uma frase vai invadir sua cabeça:

- lamento muito! Agora é tarde! Você perdeu a chance de retribuir o amor que um anjo dedicou a você durante toda a sua vida!

Está esperando o quê?

Vai lá! Vasculha a casa, entra na cozinha e diga com toda a sinceridade do mundo!

- Mãe! Eu te amo meu anjinho!


 


 

 

quarta-feira, 4 de março de 2009

Eu sou um fumado!
a definição de "fumado" é mais ou menos o seguinte:
aquele que não tem onde cair morto, liso, durango, duro, aquele que vende o almoço pra comprar ..nada, porque ele é um fumado.
como todo 'bom fumado" eu só ando de ônibus, mas, como eu sou um fumado "antipático" metido a besta, eu me estresso com as aberrações que vejo dentro dos coletivos, vamos lá:
1- o fumado (exatamente igual a mim) entra com um copo de água na mão quando acaba aquela água, o cara joga o copinho pela janela com a maior naturalidade do mundo, cara isso me deixa muito puto, depois o porra do fumado reclama que a cidade é um lixo, por que o prefeito é filho disso, filho daquilo, a culpa não do cara (prefeito) é o fumado que mau educado e joga lixo por tudo quanto é canto.
2- calcula comigo eu tenho quase 1,80 peso 90Kg, quando entro no busão, procuro alguém magro pra sentar ao lado, é obvio que o magrinho não vai ficar amassado, agora entra o tal do fumado, pesa quase cem quilo e senta junto comigo, aí é pra acabar, me dá vontade de socar o cara até a morte.
3- o fumado mora um quilometro depois do fim da linha,o fudido entra no ônibus quase vago, o lugar que ele escolhe pra ficar é justamente na porta de saída, só que esse se fodem comigo porque piso no pé mesmo, se reclamar eu digo "onibus tem cobrador e motorista e não porteiro" o fumado.
4- essa é a pior, cai um pingo d'água ou o tempo fica nublado, pronto todos os fumados fecham as janelas, parece que esses porra não tomam banho tem medo de água parecem bode, tem uns cara de pau que dizem que estão com febre, gripados, aliás essa é maior desculpa que o fumado dá, para não tomar banho "tô com febre não me molhar"
to be continued...

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Será que o fórum Social Mundial trouxe alguma benesse à Belém?

Depois que os "líderes", sem terra, indígenas, maconheiros (como o povo fuma diamba, nunca vi tanto viciado junto!) foram embora, o que será que ficou das "benesses" trazidas pelo Fórum, será que a polícia ainda está atuante como nos dias de encontros e passeatas, até os oficiais foram pras ruas, será que o prefeito continuará mandando lavar (isso mesmo!!) o prefeito mandou lavar as ruas de Belém, pasmem!Coisa que eu nunca tinha visto fique perplexo! Parecia filme Europeu. O governo do Estado gastou milhões, para albergar milhares de pessoas oriundas de vários cantos do mundo. No entanto o cotidiano não mudou nada, a violência manteve o patamar altíssimo que já existia, mesmo com a presença da guarda nacional, aliás, diga-se de passagem, até a guarda nacional não disse a que veio, já que foi um zero a esquerda ante a ação de marginais em Belém, a polícia rodoviária federal deslocou uma multidão de motoqueiros para a cidade a única coisa que se viu foi os caras desfilando de motos pelas ruas sem nenhuma ação que pudesse organizar o trânsito caótico desta metrópole, vários hospitais da rede pública reservaram leitos, exclusivos para os integrantes do fórum, teve um hospital federal que deixou mais de quarenta leitos ociosos, reservados aos participantes, enquanto a população que paga por estes leitos morria nos "prontos socorros da vida" os leitos ficavam vagos, gerando prejuízo aos cofres públicos, (se aqui fosse um país sério essa governadora pagaria este prejuízo do seu próprio bolso, para aprender a administrar e parar de brincar de revolucionária).

sábado, 23 de agosto de 2008

Depois de um bom tempo!!

clique nos nomes das músicas para baixar
como está descrito no título deste post, passei um bom tempo sem postar alguma coisa, é óbvio que me falta tempo, então vou direto ao assunto.
eu tenho muita música paraense, porém como não tenho muito tempo de fazer upload, vou disponibilizando aos poucos.
vou começar com uma música que é uma verdadeira raridade, é uma música do Vital Lima, que está num vinil patrocinado pela Engeplan chamado "Música Popular Paraense" "Coleção Engeplan"volume I" chama-se "CASO" foi gravada pelo "Delço Taynnara" na minha opinião é uma das mais lindas músicas do mundo.
CASO-DELÇO TAYNNARA

segunda-feira, 17 de março de 2008

DEMOCRACIA????

você acredita que o Brasil seja um país democrático?
vamos analisar:
se você obriga alguém a fazer alguma coisa, você é democrático?
é óbvio que não!
então partindo da premissa de que se alguém é obrigado a alguma coisa , deixa de ser democrático.
então me diga, como alguém pode dizer que nós vivemos em uma democracia, se somos obrigados a votar?
por que ninguém neste país não se manifesta a respeito desse assunto, temos tantos juristas, sociólogos, antropólogos enfim uma infinidade de ólogos... porém ninguém discute ninguém toca no assunto, como se voto facultado fosse proibido nestas plagas, será que não existe um brasileiro "que tenha alguma influencia, claro" que não possa levantar esta bandeira a favor do voto facultativo.
é uma das poucas maneiras que vejo de "acabar"... (aí eu peguei pesado... já é ser utópico demais) digamos minimizar essa corja de políticos bandidos que assolam este pais, minha gente, não dá mais pra segurar,.... explode coração, desculpem me empolguei, não dá mais pra aguentar tanta canalhice da classe politica brasileira, eu... posso... afirmar ....com... certeza...absoluta
-não existe um politico sequer que tenha o mínimo de dignidade neste país!!!!!
infelizmente essa é maior verdade sobre o atual quadro de sem vergonhas que comandam este país começando pelo líder-mor...traidor dos seus próprios ideias

sábado, 1 de setembro de 2007

Corrupção até quando?

o país está atravessando uma enxurrada de corrupção sem precedentes na sua história, a "sem vergonhice" alcançou um patamar jamais visto em todos os tempos, os "políticos" brasileiros são os mais descarados que eu já vi, fizeram uma jogada de "MESTRE" ao desestruturar as Forças Armadas, afastando a possibilidade de um novo "GOLPE MILITAR", isso mesmo senhores "GOLPE MILITAR" é a única solução que eu consigo vislumbrar para acabar com esta pouca vergonha que são os "políticos" do Brasil. É difícil acreditar que um cidadão possa mencionar esta possibilidade mais não há outra saída, tem que ser "GOLPE MILITAR" mesmo, colocar as forças armadas nas ruas, fuzilar esta classe de parasitas em praça pública, estes bandidos estão acabando com tudo foi construído pelos brasileiros durante séculos a fio, não há mais o que tolerar, o caos está instalado, os cartéis estão bem organizados, e o pior de tudo é que os marginais que os formam, são pessoas que detém o poder, são ministros , juízes, desembargadores, delegados, policiais, senadores, deputados, governadores, prefeitos, vereadores e principalmente os parentes dos políticos, ficam comandando tudo nos corredores.
1ª pergunta: quem financia tudo isso?
A) o povo
B) o narcotráfico
C) o governo americano
se você respondeu todas está correto.
porque o povo?
sim, é o dinheiro do povo que sustenta estes parasitas.
porque o narcotráfico?
financiando as campanhas milionárias dos "políticos", comprando sentença nos tribunais, corrompendo policiais diariamente, etc...
porque o governo americano?
porque qualquer coisa ruim que acontece no mundo é culpa dos USA.
você riu, então é melhor começar a arregaçar as mangas porque neste exato momento tem um membro deste cartel roubando o que é seu, tramando contra alguém da sua família.
se você tiver a oportunidade de ler isto e logo em seguida acontecer alguma mazela a você ou alguém próximo, lembre-se: você leu tudo e me achou um idiota utópico que acha que vai mudar o mundo, pelo menos estou fazendo a minha parte.
Faça a sua também:
quem tiver um pouco de coragem e sangue nas veias pode muito.
se você concorda comigo, tenha a mesma atitude que a minha comece a fazer o mesmo, ponha a "boca no trombone" fale, convença outros a fazerem o mesmo.
agora se você acha que eu sou um tremendo idiota, continue trocando seu voto por uma camiseta com o nome do seu candidato, que dura menos que o mandato dele. o que me mais me dá raiva é saber que você vende o seu voto tão barato que não compra nem um lenço pra você chorar por um dia, imagina pelos vários anos que seu politico rouba descaradamente.
será que eu sou único cidadão neste pais que pensa desta forma?
acredito que não!
dê sua opinião, me chama de doido, mais faz alguma coisa, o que não pode é isso se arrastar pela eternidade.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Hacker dos anos setenta!

muito em breve estarei postando muita coisa boa, pra mostrar que no estado do Pará, tem música de verdade

aceito contribuições

se você tem lp, fita K7 ou cds de musica paraense e quer compartilhar envia pra mim uma có pia que eu divulgo.
Obs. eu falei "musica" não essa porcaria que rola por aí nas fms da vida.

como tudo começou....

a idéia do blog é mostrar pro mundo um pouco da música paraense, não essa música chinfrin de fm, que perturba o dia todo, sempre falando de aparelhagem, ou aquela sem nenhum conteúdo que ninguém agüenta mais ver nestes programas de felinas